O Momento Do Tempo

Diz O Cavaleiro Viajante

Ando Errante Pelo Descampado,

Desamparado…

Esvaído Em Terra De Vivos,

Desconhecendo…

O Acreditado Limite Invisível a Olhos Vistos…

Transparente a Quem o Insiste,

Mas O Fiel Coração Bradou No Tempo…

E Ecoou Em Presságio Momento,

A Partida Era Clara,

Prenúncio de Sentimentos,

A Vagar e Esperar…

No Tempo O Momento…

Do Nosso Tempo Chegar

Se A Vida É O Viver…

E O Momento Anseia Do Existir,

Uma Vez Que Existe A Vida,

O Marca-passos Do Tempo Deixa De Intervir.

O Preciso Nem Sempre É O Tempo Em Si,

Caro É O Momento…

Em Que Se Escolhe, Decididamente, Agir…

O Pai Do Tempo Resiliente,

Apresentou Ao Filho Benevolente,

A Ampulheta Das Areias Dos Momentos,

Dádiva E Acalento,

Irmão Deste Além Mundo…

Vigilante Desvelado E Atento…

Sempre Conhece O Agir Sem Intervir,

A Sabedoria Constante,

Da Beleza A Contemplar…

O Esmero Surgir

E A Vida, Enfim… Se Criar.

©2020 por PORTAL DE ACESSO GRATUITO TABERNACULUM VIVERE

  • Facebook
  • Instagram